terça-feira, 3 de julho de 2012


REFLEXÃO FINAL – MÓDULO 1 “FUNCIONÁRIOS DE ESCOLAS: CIDADÃOS, EDUCADORES, FUNCIONÁRIOS E GESTORES.”

O módulo 1 traz o tema “Funcionários de Escolas: cidadãos, educadores, profissionais e gestores. Logicamente que nós, funcionários Administrativos pensamos e queremos ser valorizados, não só em nossas funções, mas em toda a cadeia hierárquica da unidade escolar, desde entre nossos pares até a Direção Escolar, pois todos temos nosso valor, o qual é adquirido por ações diárias no decorrer de nossas atividades, ou mesmo por força da função de cada cargo, mas o principal é que deve haver respeito e harmonia, quer seja entre nós e o restante dos educadores, pois todos  somos profissionais em busca de um objetivo comum, levar conhecimento e educar as crianças para serem cidadãos de bem no amanhã.
            Quando se fala em Educação, logo pensamos na educação escolar, mas não é bem assim. A Educação também é adquirida em casa, no dia a dia, até com os afazeres domésticos se ensina a ter boa educação, um simples ato de lavar as mãos e secar, escovar os dentes, não deixar objetos espalhados pela casa, limpar o que se suja, pode ser encarado como normas para uma boa educação.
            Para que uma unidade escolar leve conhecimento aos alunos é necessário que exista uma série de atos para nortear o seu funcionamento, desde a grade escolar, que o Governo determina para as escolas oferecer as disciplinas, as quais serão as fontes para a aquisição do saber, até a elaboração de regras e normas para boa conduta dos educandos. Também temos a elaboração do Projeto político Pedagógico (PPP), e tudo que faz parte das atribuições que é dada a todos os trabalhadores em educação, desde a realização de matrículas dos alunos do 1º Ano até a conclusão do Ensino Médio, com a confecção dos históricos escolares dos alunos.
            Também temos o Regimento Escolar, Colegiado Escolar, APM, enfim, uma unidade escolar segue normas para o seu andamento e, também, para poder prestar contas, quer seja para o Governo ou para a sociedade.
            Desde a época do Império existe legislação para a educação, com data de 15/10/1827, a qual sofreu vários processos evolutivos até chegar aos dias atuais, a mais recente é a lei 11.114 e 11.274 de 2005 e 2006, que institui o ensino de 9 anos a partir dos 6 anos de idade.
            Hoje temos o cumprimento de 200 dias letivos, o qual acredita que não são totalmente proveitosos para os alunos como se pretende, pois aos sábados, entendem os alunos que são para descanso escolar e não para assistir aulas e a conseqüência é a falta, de modo que existe um considerável desprezo para com os sábados letivos, muitas vezes os professores vêm dar aulas e encontram pouquíssimos alunos, o que prejudica o rendimento da turma e o andamento do processo ensino-aprendizagem. Contudo, ainda dá para piorar, pois querem alterar para 210 dias letivos, o que significa aumentar, além dos existentes atualmente, mais 10 sábados letivos anuais, o que é inviável, até porque não podemos obrigar ninguém a vir as aulas aos sábados.

TEXTO PRODUZIDO PELO CURSISTA LEONE CARLOS RAMOS DOS SANTOS, SOB ORIENTAÇÃO DA TUTORA SUELY DE SOUZA CRUZ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário